segunda-feira, 26 de abril de 2010

A Poesia Prevalece mesmo

Hoje resolvi falar um pouco de mim. Primeiro, porque tenho andado sem inspiração pra textos mais complexos. Depois porque preciso atualizar meu blog e estou aproveitando minha leve insônia dessa madrugada de segunda-feira.

Conversando com minha tia outro dia, ela me perguntou quem escrevia os textos do meu blog. "Oras, eu!". "Menina, mas você faz matemática!" -disse Tia Shirley. Pois é, faço. Não acredito que escrevo tão bem assim pra tamanho espanto.[1] Mas minha tia me conhece, talvez uma das únicas que me conhece tão bem. E ela sabe que é uma das principais culpadas por esse meu gosto [A]normal por literatura e por isso me arrisco de quando em vez a escrever bobagenzinhas. Sim, eu amo literatura!

Tudo começou de um forma "sutil", digamos. Quando eu estava na terceira série ela mandou eu ler "Pollyana Menina- de Eleanor Porter" [2] Depois surgiu com "O menino do dedo verde", os clássicos de Shakespere entre outros. Depois, pra completar, na quarta série eu tive aulas com Tia Ladinha que é uma fanática por literatura e fazia com que todos lessem um livro por semana e depois teriam fazer um resumo literário - tinha até caderninho especial pra isso. Foi quando eu conheci os livros de Monteiro Lobato e as aventuras do Menino Maluquinho. Apesar dela brigar comigo por causa do meu amor explícito por matemática, ela foi marcante - de forma positiva - em minha vida. Depois apareceu o Sarau do Centenário do meu amigo Carlos Drummond de Andrade e antes que eu me esqueça uma gincana de leitura na sétima série.

Bom, os relatos citados anteriormente ocorreram por volta do ano 1999-2003 E com o decorrer do tempo, eu fui esquecendo esse meu lado amante da literatura (brasileira, principalmente). Eu tava certa de que queria seguir na matemática, mas isso não me impediria de continuar com minha literatura. Mas infelizmente, eu a esqueci. Na verdade, durante esse anos de "Menina-das-Exatas" eu comecei assumir um lado muito racional e minha sensibilidade, meu lado-poético andou meio adormercido.

"E como ele "despertou"?" Oras, essa é fácil de responder e espero uma compreensão de todos vocês. Em meados de 2008, quando já estava na faculdade, um amigo me apresentou uma banda chamada "O Teatro Mágico". "E o que uma "banda-de-nome-estranho" tem a ver com isso?" TUDO! O Teatro Mágico não é uma simples banda, da mesma forma que eles não são apenas palhaços em cima de um palco - sim, eles "se fantasiam" de palhaços durante do show. Eles formam um trupe de apoio a música livre, toda a divulgação é feita via internet e de amigo-pra-amigo, não vendem cd's - todas as músicas estão disponíveis pra download no site deles. E as músicas tem o dom de mexer com meu íntimo, me tocam, me inspiram, me fazem ficar engajada nesse projeto-música-e-arte-independente. Nem é difícil de enxergar como eles tem o dom/poder transformador nas pessoas - uma trupe que começou com o Fernando Anitelli e seus Sarau's, fazendo poesias, e na voz-e-violão... chegou num patamar tão alto sem precisar pagar jabá's pra rádios e tv's pra divulgar o seu trabalho.



O Fernando, vocalista e idelizador, costuma dizer: "Viver é um arte!". Eu re-aprendi a viver: "vivendo a vida mais leve" e "não acomodando com o que incomoda".




"A POESIA PREVALECE!"

Ah, hoje eu recomendo uma música da época do Sarau do Fernando:
- Folia no Meu Quarto

Nota:
[1] Acho que o mais "absurdo" foi eu ter gabaritado a prova de português de um concurso que fiz semana passada. Hehehe
[2] A próposito, eu recomendo. Acho que é um livro que deve ser lido por todas as pessoas independente da idade.


P.s.: Ainda em tempo, tenho que dizer que meu blog é baseado numa música d'O Teatro Mágico chamada "..." (reticências).
Música
Letra

8 comentários:

  1. O teatro mágico realmente tem um poder de despertar nas pessoas a sensibilidade pra poesia e arte
    Acho que é o poder da arte sincera
    Muito legal o texto

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. É muito bom te ler...
    O Teatro Mágico tem mesmo o dom de despertar paixões adormecidas. Inspira até mesmo o titulo do meu blog. :D Sou apaixonada pelo TM, faz uns quatro anos que conheço a banda, e de lá pra cá, nunca os larguei :P

    Ahh.. folia no meu quarto é uma das minhas músicas preferidas! =D

    " quero mais.. folia no meu quarto..
    quero mais...careta no retrato..."

    E continue escrevendo "menina-das-exatas", pq vc escreve muito.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Joyce

    Devo dizer que em alguns aspectos minha historia se parece um pouco com a sua!
    O TM mudou a minha forma de ver a vida também, mostrou-me que podia ser um tanto bem maior, que eu podia mudar alguma coisa.

    Beijoos!!

    ResponderExcluir
  5. o TM é inspiração de uma grande linha de internautas...

    conheço o Teatro a um ano menos ou mais, acho que com eles vi o quão divertido é brincar com as palavras. Que seja sempre o Teatro Mágico não privatizado...

    ResponderExcluir
  6. Conheço o TM há mais ou menos dois anos. E todos os dias eu tenho que escutar pelo menos uma música! Eu não me canso de escutar!!! Faz parte da minha nova história de vida!
    O Tm me encanta e me inspira...

    Parabéns pelo seu texto!

    ResponderExcluir
  7. Joyce estamos + ou - no mesmo barco, eu faço ciência da computação mas vivo corrigindo quem escreve ou fala errado,já fui bem ruinzinho em português (não que eu seja maravilhoso nisso hoje) mas agora até que tô bem!

    ResponderExcluir
  8. Ercília Figueiró2 de maio de 2010 09:55

    Joyce, tenho dito que vc é muito especial.Nunca imaginei vc, com ou sem TEATRO MÁGICO(muito bons mesmo) na literatura. Que Jeová continue te guiando. Amo vc minha linda. Bjus...
    Mamãe.

    ResponderExcluir